segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

por que defender o liberalismo

Em 1987, quando as discussões ideológicas se acentuavam ante a elaboração da nossa última Constituição, escrevi um pequeno artigo que acredito ser oportuno recordar.
Desde então, quase duas décadas se passaram, e é necessário resaltar aqui que o Tempo e a História registram dois fatos relevantes:

O primeiro deles foi a queda do muro de Berlin, em 1989, certamente o principal marcohistórico/político do pós-guerra, pois com ele ruiu todo o mito coletivista!
Cai por terra toda a grande mentira comunista, mantida por setenta anos sob férreas ditaduras, e surge a prova definitiva de que o Estado totalitário, além de privar os cidadãos da essência da existência humana - a liberdade - inibe, distorce e prejudica o progresso das Nações.
O segundo, a constatação, na prática, pela sociedade brasileira da inoperância, do atraso do País sob a desastrada constituição de 1988, a chamada "Constituição dos Miseráveis".

Após todos esses anos, a volumosa e pretenciosa constituição deixou-nos todos mais pobres, com menos empregos e pagando mais tributos. Além disso, os constituintes, irresponsavelmente, conseguiram inviabilizar a federação no que se refere a responsabilidade orçamentária: aumentaram os gastos sem se preocupar com a adequação das receitas. Enfim, confundiram essência com excrescência, como diria Roberto Campos...

Entre as pérolas da demagogia constitucional, a ampliação compulsória dos chamados"direitos sociais", por exemplo, só inibiu, na prática, a criação de empregos e aumentou a informalidade na economia.

Infelizmente, o que constatamos ao ler a Constituição de 1988 é que ela se caracteriza mais por ser um amontoado de afirmativas irrelevantes, de intenções demagógicas, além de ampliar o poder e os privilégios da burocracia; do que ser uma norma sintética que balize o verdadeiro Estado de Direito e a organização civilizada da sociedade.

Tanto àquela época, quanto hoje, raramente se ouve dos congressistas, que se auto-denominam democratas e defensores da liberdade, bem como de líderes da sociedade, alguma manifestação clara e objetiva, destinada a lembrar, o porquê da defesa da livre iniciativa e dos princípios do liberalismo.

Refletindo sobre essa situação é que surgiu a idéia de se divulgar, para compreenção do cidadão comum, uma resposta a esta fundamental questão:

Por que defender o liberalismo e a livre iniciativa?

Porque ao fazermos isso estaremos defendendo a liberdade do indivíduo, na sociedade! E ao se defender a liberdade do indivíduo, se estará defendendo uma das leis fundamentais da natureza humana, que é o livre arbítrio.

E o livre arbítrio é a faculdade do ser humano de guiar-se por si, comandar seus próprios atos, ser autêntico, espontâneo, seguir sua vontade restrito apenas por normas gerais de conduta.

O liberalismo defende esses valores: maior liberdade de ação dos cidadãos, e menor interferência do Estado na vida da sociedade.

Menor interferência do Estado significa uma sociedade mais livre e espontânea. E está provado pela História, que uma sociedade livre, agindo espontâneamente, cria muito mais oportunidades à evolução e ao progresso humano do que em qualquer outra forma de organização.

Uma comunidade de indivíduos livres, atuando competitivamente em igualdade de condições, certamente resultará na melhora do nível material e intelectual de toda a sociedade.

Aplicada ao trabalho, a competitividade leva à maior produtividade. A maior produtividade em uma sociedade livre, conduz geralmente, à menores preços dos produtos e a maiores salários.

Menores preços e maior renda, levam a sociedade em geral, e ao indivíduo em particular a uma elevação do seu padrão de vida.

Defender a livre iniciativa e os princípios do liberalismo, não é simplesmente ser contra a estatização e os monopólios. É ser a favor da eficiência econômica. É ser contra os privilégios de grupos, corporações ou entidades que, à sombra do Estadousurpam os recursos gerados e pertencentes a sociedade produtiva.

Defender a livre iniciativa e os princípios do liberalismo, é ser a favor de um regime que permita maior liberdade aos cidadãos para produzir, investir, contratar, negociar, e consumir, atos naturais da atividade humana, mas que são hoje inibidos por causa da interferência espúria e excessiva do Estado.

O Estado, quando cresce desmesuradamente, como no Brasil, quando foge das suas atribuições essenciais que são: promover ordem e justiça eficazes e, suprir infra-estrutura básica às necessidades da sociedade; quando interfere regulando em excesso, ou passa a ser parte interessada em atos econômicos, certamente deturpa as atividades e o equilíbrio da comunidade, prejudicando a todos.

Defender a livre iniciativa, não é defender a classe empresarial.
É defender a liberdade de ação dos cidadãos! É defender a possibilidade de que, com trabalho e iniciativa, cada um construa a sua prosperidade, e não a dos políticos e burocratas parasitas, como tem ocorrido, há muitos anos, neste País.


















Conte aos amigos, espalhe por aí se você quer receber mais posts como esse, se inscreva com o e-mail. Um Bjuu

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Perdão Próprio

Que quando conseguimos desenvolver o pensamento e ação de perdão todos somos mais leves, felizes e tranquilos, isso nós sabemos. Sabemos que quem perdoa isenta um peso desnecessário das costas, a caminhada se torna mais leve. Talvez o brilho nos olhos demore um pouco mais a chegar, talvez as cicatrizes façam com que o medo tome um pouquinho de espaço, mas isso não é culpa do perdão. As cicatrizes, a ausência de brilho e de confiança é fruto de outra coisa, o perdão só traz leveza. Essa decisão que realmente muda a sua vida. Quando você resolve relevar, esquecer, poupar seu cérebro de criar situações para vingança ou parar de alimentar as minhocas que sua cabeça insiste em criar, você decide se libertar. Traíram você? Mentiram diversas vezes? Viraram-lhe as costas, você se decepcionou? Sinto lhe informar que isso não é o fim do mundo. Sinto mais ainda em lhe dizer que você não é o primeiro, não será o ultimo e muitíssimo menos o único a passar por coisas nesta categoria de dores que a vida e as pessoas nos causam ao decorrer dos anos. Situações assim lhe causam cicatrizes e sabe porque elas fecham deixando só a marca a pele? Pra você olhar e lembrar de tudo o que houve, sabendo o quanto doeu e melhor: a sua incrível capacidade de se regenerar. Doeu? Claro, nenhum ser humano gosta de ser enganado ou ferido. Precisa doer pra sempre? Isso é você que escolhe. Hoje, além de perdoar as cicatrizes que me causaram, eu escolho me perdoar. Nós somos capazes de perdoar traições quando existe um pingo de esperança. Somos capazes de ignorar mentiras e tentar entender contextos quando sentirmos a necessidade de estar ao lado de alguém. Somos capazes de não olhar para trás quando precisamos de alguém, perdoar por amor. Eu resolvo me perdoar porque preciso ser leve. Vou me perdoar pelas noites em que não quis me arrumar e sair para ver o mundo ao redor da minha cidade, esqueço os dias em que jurei amor eterno a algo que não merecia nem um lanche depois de uma balada, ignoro fielmente o fato de ter acreditado tanto em pessoas que não mereciam meu tempo e nenhum dos meus sentimentos mais puros. Eu irei me perdoar por não conseguir perdoar certas coisas instantaneamente. Eu escolho esquecer dos gritos, das dores, das lágrimas que eu derramei e só meu travesseiro sabe. Ele sim amorteceu minhas quedas, meus berros e a água que transbordava de mim e ia de encontro a fronha branca de algodão, pedindo socorro. Eu também vou ignorar o fato de ter dado exclusividade a alguém que nunca deu um pingo de atenção especial a mim e todas as outras escolhas que eu fiz e que me afastaram das pessoas, lugares e momentos certos para que algo conspirasse ao meu favor. Eu vou sim me perdoar por ter tentado segurar o peso do mundo nas minhas costas, por ter enviado aquela mensagem quando estava bêbada e precisava de atenção e por não estar disponível 24 horas. Não estou disponível para ninguém por 24 horas, nem para a melhor amiga do mundo ou para o carinha mais legal que eu encontrei naquela noite, talvez até naquele mês. Eu sou disponível a mim mesma por 24 horas e ultimamente nada tem sido mais valioso que isso. Então, por todas as vezes que eu não atendi, não forcei a barra só porque a situação pedia isso e por todas as visualizadas-e-não-respondida. Eu vou me perdoar, ponto final. Todas as situações que pedem perdão merecem meu perdão porque elas envolveram boas intenções. Se eu sou capaz de perdoar más intenções eu sou capaz de ser a rainha do perdão próprio. Eu preciso me perdoar principalmente pelas atitudes tomadas por impulso, pela força da vontade de fazer algo finalmente funcionar durante as horas disponíveis nos dias, dias disponíveis no mês e toda essa ordem cronológica que as vezes pira a cabeça da gente enquanto martela repetidas vezes o quanto precisamos de tantas coisas que talvez nem precisemos de verdade. Viu? Preciso me perdoar por me confundir e confundir vocês no fim das contas. 
Acompanhem meu raciocínio, a vida precisa ser leve e o perdão dá a leveza absoluta. Decida ir, decida perdoar, decida ter perdão próprio. Casa, carro, empresa, tudo que é próprio é melhor. Amor e perdão não fogem a regra. E qual é o problema de me perdoar também? Eu quero ser o mais leve que puder e nesta dieta, graças a Deus, eu não preciso ficar sem brigadeiro – aliás, também vou me perdoar pelo brigadeiro.

Conte aos amigos, espalhe por aí se você quer receber mais posts como esse, se inscreva com o e-mail. Um Bjuu

segunda-feira, 26 de junho de 2017

A cidade do prefeito desequilibrado

Sorocaba entro hoje para um hall das cidades governadas por um desequilibrado. No último final de semana, nossa cidade foi sacudida por uma denúncia de agressão contra o Prefeito José Antonio Caldini Crespo. Desta vez, sua vítima foi a vice prefeita, Jaqueline Coutinho e um secretário. Tudo isso porque a vice prefeita descobriu que uma funcionária comissionada teria falsificado um diploma de nível superior. Não ha nada que justifique tal atitude do SR. Prefeito, que tem um histórico de ser esquentadinho( vide os episódios envolvendo o ex-prefeito Vitor Lippi, o vereador Irineu Toledo e um secretário do governo de Antonio Carlos Pannunzio). Bater em mulher é coisa de gente que nem pra reciclagem serve.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

A síndrome de Ursulão

É quase uma tradição, sempre que tem um daqueles probleminhas domésticos que exigem um técnico e se ouve do maridão, do namorado, noivo, pai, tio, avô ou irmão aquele famoso bordão:” Deixa que eu faço! É bem mais barato!”
Xiii, lá vem trapalhada, lá vem confusão, e o camarada pacato se transforma num autêntico Charlie Ursulão.
É um fato consumado que isso nunca funciona e que normalmente salvo raras exceções, o camarada faz uma grande trapalhada, gasta mais do que pretendia economizar e acaba tendo que chamar o técnico no final e gastando mais ainda.
Na minha família tem um monte de Ursulão,  o maridão, minha mãe e meu tio!!
Ursulices a balde para todos os gostos e o engraçado é que cada um diz ter sua especialidade, mais acaba metendo o nariz em tudo.rs


Coisas de Ursulão!






The Beary Family


A família Urso (no original: The Beary Family) foi um desenho animado produzido por Walter Lantz e transmitido durante o Show do Pica-Pau. Trata-se da história de quatro ursos: Ursolão “Charlie” (o pai), Úrsula “Bessie” (a mãe), Ursolina “Susi” (a filha mais nova), Ursolino “Júnior” (o filho mais velho), e o animal de estimação um ganso chamado Goose.Depois de alguns episódios, Ursolina e Goose somem.


Foram feitos 28 episódios da Família Urso, o desenho começou a ser produzido em 1962 e terminou em 72, ano em que se encerrou a produção do Pica-Pau e dos outros desenhos de Walter Lantz.


Na maioria dos episódios, Ursolão sempre quer bancar o trabalhador doméstico em nome da economia (como por exemplo, ele próprio construir uma porta automática para a garagem ao invés de gastar dinheiro comprando uma), deixando a esposa desesperada. O resultado é que, muito desastrado, Ursolão faz tanta besteira que o prejuízo acaba sendo maior do que a suposta economia.


Características


* Charlie Ursolão:O “grande faz-tudo”, porém suas trapalhadas dão mais prejuízo que economia.


* Bessie Úrsula:Em cada episódio ela era redesenhada.Nos primeiros episódios
ela tinha um aparência mais jovem.Já nos últimos episódios ela ficou velha e rabugenta como se a personagem estivesse envelhecendo, fica em polvorosa quando o marido resolve economizar, fazendo ele mesmo o trabalho, no final castiga-o depois do fracasso.


* Susy:Dengosa.


* Ursolino Jr.:uma pessoa meio alienada, ajuda a complicar mais ainda seu pai nos trabalhos domésticos.


* Goose:um doce para a filha pequena e um terror para o pai.

Vejam esse desenho: https://youtu.be/AyE_L77CcwA

quarta-feira, 26 de abril de 2017

The Bangles

vejam esse vídeo


Conte aos amigos, espalhe por aí se você quer receber mais posts como esse, se inscreva com o e-mail. Um Bjuu

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Homens sentem mais atração por mulheres burras e imaturas, afirmam cientistas




A personagem Kandi, do seriado “Two And A Half Men”, é uma mulher “burra” com quem os dois irmãos se relacionam

No fim das contas, o ser humano ainda tem muito dos primeiros hominídeos, mesmo depois de mais de 35 mil anos.
A afirmação é de cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, que postulam que a reprodução ainda é um de nossos objetivos primários.
Os pesquisadores estadunidenses criaram uma lista com 88 fatores que podem fazer a mulher parecer mais sexy e, depois, mostraram fotos ilustrando essas mesmas características para 76 homens.
Os homens tiveram de avaliar seu desejo por cada uma das características apresentadas e descobriu-se que possíveis pontos negativos, como os físicos, não influenciam tanto no desejo sexual.
Pelo contrário, a vulnerabilidade psicológica – como quando a mulher é mais imatura ou não tão inteligente – mostrou-se chave. Na opinião dos homens da pesquisa, as mais atraentes eram as mais vulneráveis, e não as mais inteligentes, justamente por serem “presas” mais fáceis.
Contudo, o interesse deles cai significantemente quando questionados sobre a possibilidade de relacionamentos duradouros com essas mulheres.
Conclusão: a avaliação da vulnerabilidade imediata de uma mulher pode ser central para a ativação de mecanismos psicológicos relacionados à “exploração” sexual.
E você, o que acha? [TelegraphDailyMailHuffingtonPost]


Conte aos amigos, espalhe por aí se você quer receber mais posts como esse, se inscreva com o e-mail. Um Bjuu

30 belos motivos para gostarmos de calça legging (parte 1)

  fonte:  minilua.com Conte aos amigos, es...